quarta, 19 junho 2019
Hugo Galhofas

Hugo Galhofas

URL do Sítio:

Associações

Publicado em Conteúdos segunda, 27 agosto 2012 16:23 0

Contribuindo para a dinamização da Freguesia, nas suas diversas vertentes, estão as colectividades. Neste âmbito, existem na Granja diversos grupos e associações, com estruturas vocacionadas para organização de várias actividades recreativas e culturais.Contribuindo para a dinamização da Freguesia, nas suas diversas vertentes, estão as colectividades. Neste âmbito, existem na Granja diversos grupos e associações, com estruturas vocacionadas para organização de várias actividades recreativas e culturais.

Sociedade Instrução e Recreio 8 de Dezembro Granjense Cooperativa Agricola de Granja Clube de Caçadores e Pescadores Amigos da Granja

Soc. Instrução e Recreio 8 de Dezembro Granjense

Data de Fundação: 21 de Janeiro 1921

Cooperativa Agricola de Granja

Data de Fundação: 1952

Clube de Caçadores e Pescadores Amigos da Granja

Data de Fundação: 16 de Abril de 1993

 

 

 

 Associação Equestre da Granja

 Adigranja

scpgra 

Associação Equestre de Granja “Os Amigos do Cavalo”

Data de Fundação: 6 de Maio 2005

ADIGRANJA - Associação para o Desenvolvimento Integrado da Granja

Data de Fundação: 27 de Março 2014

 

Núcleo do Sporting Clube de Portugal da Granja

Data de Fundação: 17 de Fevereiro 2017

Serviços

Publicado em Conteúdos segunda, 27 agosto 2012 15:56 0

Aqui apresentamo-vos os diversos serviços existentes na nossa freguesia!

Saúde

Educação

   
IMG 4930 

Restauração

Comércio Tradicional

Comércio Tradicional

Publicado em Conteúdos segunda, 27 agosto 2012 15:41 0

O chamado comércio tradicional, apesar da fraca expressão, é a única presença significativa do sector terciário nesta freguesia, a par de um posto dos CTT. Casas tradicionais de comércio a retalho, mercearias, casas de venda de electrodomésticos, padarias são os seus fiéis representantes.

Mercearia de Aurélia Branco
Rua das Flores
Granja 7240 MOU
Telef.


Mercearia de Maria Francisca Barona
Rua das Flores
Granja 7240 MOU
Telef. 266 577 118


Posto dos CTT
Rua da Corredoura
Granja 7240 MOU
Horário 14 ás 17,30 Horas
Telef.


Padaria de Joaquim Palhinhas
Rua das Flores
Granja 7240-012
Telef.


Padaria de José Manuel Santana Leal
Com Forno Próprio
Rua das Flores
Granja 7240 MOU
Telef.

Padaria Palhinhas
Forno - Padaria Palhinhas
Mercearia Barona
Produtos - Mercearia Barona
Padaria Leal
Forno - Padaria Leal
Forno - Padaria Leal

Restauração

Publicado em Conteúdos segunda, 27 agosto 2012 15:37 0

Os tesouros Gastronómicos alentejanos podem ser calmamente apreciados nos muitos restaurantes e cafés da Granja, onde petiscos, pratos e doces são servidos com a mestria que estes impõem, a ver:

Adega típica “O Bigodes”
De: João Leal Caetano Fernandes
Rua dos Valadares, 20
Granja 7240-012 MOU
Dias de Funcionamento: Todos os dias Horário: 6h 30 ás 24h


Café "Esperança"
De: Maria Francisca Carujo
Mediador de Jogos - Totolotos - Totobola
Rua da Corredoura
Granja 7240-012
Tel.:266 577 216
Dias de Funcionamento: Todos os Dias


Café “Aranha”
De: Felizardo José Aranha
Rua da Corredoura, 33
Granja 7240-012 Mou
Tel.: 266 577 144
Dias de Funcionamento: Todos os Dias
Horário: 9h ás 23h


Restaurante “O Orvalha”
De: Manuel José Valentim Vales e Maria Cipriano
Rua Álvaro Afonso, 40
Granja 7240-012 Mou
Tel.: 266 577 154 (Para Encomendas e Marcações)
Dias de Funcionamento – 3ª Feira a Domingo
Horário de Funcionamento: das 9h ás 2h
Aceita Marcações para Grupos
Comida Para Fora


Núcleo do Sporting Clube de Portugal da Granja
Gerência de: Luis Sapateiro
Rua da Álvaro Afonso, 43
Granja 7240-012
Tel.: Dias de Funcionamento: Todos os Dias



Adega Bigodes
Adega Bigodes
Sala de Refeições - Adega Bigodes
Potes - Adega Bigodes
O Orvalha - Restaurante
O Orvalha
O Orvalha - Sala de Refeições
Café Esperança
Café Esperança

 

Educação

Publicado em Conteúdos segunda, 27 agosto 2012 15:30 0
Ao nível da educação, apesar de não possuir uma escola para o 2º e 3º ciclos do Ensino Básico, os alunos estão obrigados a deslocar-se diariamente para Mourão e Reguengos de Monsaraz, a Granja dispõe de uma escola primária, que conta com 4 professores (um deles de apoio) e cerca de 50 alunos, distribuídos por um Jardim de Infância e pelos vários anos do 1º ciclo.
 
Escola Primária
Educação

Saúde

Publicado em Conteúdos segunda, 27 agosto 2012 15:28 0

A extensão de saúde da Granja é a única infra-estrutura, em toda a freguesia, que dispõe de equipamentos e meios humanos capazes de garantir os serviços mínimos, no que respeita a assistência médica e de enfermagem. Aqui realizam-se, ás segundas, quartas e sextas, consultas de clínica geral.

Existe também uma Farmácia na Freguesia.

Centro de Saúde de Mourão – Extensão da Granja
Rua Pedro Piteira, 4
Granja 7240-012 Mou
Telef.: 266 577 125

Farmácia Portugal
Rua da Canhota, 29
Granja 7240-012 Mou
Telef.: 266 577 312
Funcionamento: Todos os dias úteis das 15,30 ás 17,30 Horas

Casa do Povo
Extensão de Saúde

Agricultura

Publicado em Conteúdos sexta, 24 agosto 2012 15:35 0

Os pequenos agricultores da Aldeia, que vivem essencialmente da exploração familiar de pequenas propriedades, dedicam-se maioritariamente á pecuária. Nesta região predominam, entre as raças de gado bovino, o Charolês, a Alentejana, o Mertolengo e a Limousine, e entre o gado ovino, a Ille de France e a Merino.


Em paralelo a este tipo de exploração familiar, o chamado “Baldio da Coutada”, propriedade da Junta de Freguesia, é o grande suporte á economia local. Composto por um conjunto de terrenos de domínio comum, pode ser utilizado por qualquer residente da Freguesia.


Este baldio deve a sua sobrevivência a um elevado número de pequenos agricultores, que viram neste uma forma de aumentar os seus parcos rendimentos.


Actualmente, a utilização destas terras pode ser feita de duas formas distintas:

1. Adua ou Arrabanhação

Uma delas consiste na exploração da pastagem para gado bovino e caprino, realizada por meio de um sistema comunitário designado Adua. Esta forma bastante peculiar de pastoreio também é conhecida por arrabanhação. Para este fim estão reservados os restolhos.


Apesar de, em tempos, ter sido extremamente comum a muitas zonas alentejanas, este método encontra-se, hoje, praticamente extinto.

 

O seu uso só pode ser feito mediante uma determinada quantia, quantia esta que ajuda a Junta de Freguesia a pagar os salários dos maiorais contratados e comprar os respectivos reprodutores.


Nos dias que correm, um dos problemas que se coloca a este género de pastoreio é a falta de pastagens comunitárias.
Desta exploração são apascentadas mais de quatro centenas de grandes ruminantes e uma percentagem idêntica de pequenos ruminantes, todos eles pertencentes a um significativo número de famílias da freguesia.


2. Courelas

A outra reporta-se ao cultivo de cereais, que se faz em pequenas parcelas de terreno dividido em sesmos, e estes em courelas. Estes pequenos lotes, arrendados de 2 em 2 anos a potenciais interessados, compostos por uma área aproximada de 1 hectare.


O tipo de cultivo mais comum nestas courelas é a cultura do trigo, aveia e cevada.


Refira-se que cerca de 56,3% da população em activo é composta por agricultores. E embora o número de pequenos proprietários seja elevado, a dimensão dos terrenos é bastante reduzida. Ou seja, aproximadamente 60% dos agricultores possui terras.

Courelas
Agricultura

População

Publicado em Conteúdos sexta, 24 agosto 2012 15:21 0

A freguesia da Granja tem vindo a registar, desde a década de 60, uma clara diminuição demográfica, havendo dois factores importantes que justificam esta clara diminuição, a primeira e talvez a mais relevante é a elevada taxa de mortalidade (15‰) aliada á baixa taxa de natalidade (8,2‰). Outro dos factores é a elevada corrente migratória, quer para o exterior, quer para os grandes centros urbanos, sobretudo para a região de Lisboa.

Obrigada a abandonar a sua terra natal, uma grande parte da população foi, em busca de melhores condições de vida e de trabalho noutros países da Europa, preferencialmente para a Suiça, França e Inglaterra.

Segundo números do Instituto Nacional de Estatistica, revelados nos censos 2011, na nossa aldeia existem 267 Familias, divididas da seguinte forma:

  • 75 Familias compostas por 1 Pessoa; - 105 Familias constituidas por 2 pessoas; - 41 Familias compostas por 3 Pessoas; - 35 Familias constituidas por 4 Pessoas; - 11 Familias com 5 ou mais pessoas.
  • Segundo o mesmo instituto (INE), a "nossa" Granja conta (á data dos censos 2011), com 605 residentes, sendo que 304 são do sexo masculino e os outros 301 são do sexo oposto.

Apurando melhor os factos ainda observamos que:

  • dos 304 homens 124 são solteiros, 153 são casados, 10 viúvos e 17 divorciados.

Mais:

  • que das 301 mulheres, 82 são solteiras, 154 são casadas,18 são viúvas e 47(!!?) divorciadas.

A Granja conta actualmente com uma densidade Populacional de 6,5 por Km2.

Fonte: INE - Instituto Nacional de Estatística.

População

Localização

Publicado em Conteúdos sexta, 24 agosto 2012 15:16 0

Granja, é uma freguesia que pertence ao Concelho de Mourão, situa-se entre o Alto e o Baixo Alentejo.

Encontra-se a 12 Km da sede concelhia, sendo a última povoação do distrito de Évora e do Alto Alentejo. Localiza-se a cerca de 70 Km da capital de Distrito, Évora e a 214 km de Lisboa, inserida numa região que faz fronteira com a Estremadura Espanhola.

As freguesias que limitam com a freguesia da Granja influíram a área geográfica da mesma, especialmente as freguesias da Amareleja e da Póvoa de S. Miguel, (Concelho de Moura), a freguesia de Barrancos, (Concelho de Barrancos) e a freguesia de Mourão, (Concelho de Mourão). Do lado Espanhol, na Estremadura Espanhola, o destaque vai para os povos de Villanueva del Fresno, (Comarca de Olivença), e de Valência del Mombuey (Comarca de Jerez de los Caballeros).

História

Publicado em Conteúdos sexta, 24 agosto 2012 15:04 0

Muito pouco ou nada se sabe acerca dos primeiros povos que terão habitado esta freguesia. Em grande parte, este desconhecimento, deve-se ás constantes pilhagens de que foram vitima os arquivos documentais históricos dos templos desta freguesia, mais especificamente a Igreja de S. Brás e a Igreja da Misericórdia. Os saques frequentes por parte dos Espanhóis durante a Guerra da Restauração, no séc. XVII, contribuíram também para a falta de conhecimento em torno da origem desta freguesia.


No entanto, no Séc. XIII já existiam referências a uma Granja do Hospital, administrada pela ordem Religiosa dos Freires do Hospital. Esta teria-lhes sido doada, no sec. XIII, pelos reis de Leão e Castela, recebendo então essa designação.


Túlio Espanca, (Inventário Artístico de Portugal) defende que esta zona foi, primitivamente, habitada por povos do paleolítico e, mais tarde, por romanos e Árabes, que deixaram como legado duas pontes, que se erguiam sobre os rios Godelim e Alcarrache, e algumas chaminés mouriscas. No tempo da reconquista esta área sofreu vários ataques por parte das hostes cristãs lideradas por D. Afonso Henriques e Geraldo Sem Pavor.


No século XIV, a defesa da Granja do Hospital foi consignada aos Hospitalários de S. João de Acre, e já no século XVI á ordem de Avis. Ainda no século XIV foi edificado, no ponto mais alto da aldeia, um templo religioso, a Igreja de S. Brás, cujas proporções lhe dão uma visibilidade Privilegiada em relação aos demais edifícios.